14 de janeiro de 2014

E TUDO MUDOU...(LUÍS FERNANDO VERÍSSIMO)

O rouge virou blush
O pó-de-arroz virou pó-compacto
O brilho virou gloss
O rímel virou máscara incolor


A Lycra virou stretch
Anabela virou plataforma
O corpete virou porta-seios
Que virou sutiã
Que virou lib
Que virou silicone


A peruca virou aplique, interlace, megahair, alongamento
A escova virou chapinha
"Problemas de moça" viraram TPM
Confete virou MM


A crise de nervos virou estresse
A chita virou viscose
A purpurina virou gliter
A brilhantina virou mousse


Os halteres viraram bomba
A ergométrica virou spinning
A tanga virou fio dental
E o fio dental virou anti-séptico bucal


Ninguém mais vê...


Ping-Pong virou Babaloo
O a-la-carte virou self-service
A tristeza, depressão
O espaguete virou Miojo pronto
A paquera virou pegação
A gafieira virou dança de salão


O que era praça virou shopping
A areia virou ringue
A caneta virou teclado
O long play virou CD
A fita de vídeo é DVD
O CD já é MP3


É um filho onde éramos seis
O álbum de fotos agora é mostrado por email
O namoro agora é virtual
A cantada virou torpedo
E do "não" não se tem medo


O break virou street
O samba, pagode
O carnaval de rua virou Sapucaí
O folclore brasileiro, halloween
O piano agora é teclado, também
O forró de sanfona ficou eletrônico


Fortificante não é mais Biotônico
Bicicleta virou Bis
Polícia e ladrão virou counter strike
Folhetins são novelas de TV
Fauna e flora a desaparecer


Lobato virou Paulo Coelho
Caetano virou um chato
Chico sumiu da FM e TV
Baby se converteu
RPM desapareceu
Elis ressuscitou em Maria Rita?
Gal virou fênix


Raul e Renato,
Cássia e Cazuza,
Lennon e Elvis,
Todos anjos Agora só tocam lira...


A AIDS virou gripe
A bala antes encontrada agora é perdida
A violência está coisa maldita!
A maconha é calmante


O professor é agora o facilitador
As lições já não importam mais
A guerra superou a paz
E a sociedade ficou incapaz...


... De tudo.


Inclusive de notar essas diferenças.

1 de agosto de 2013

SONETO XXII

O espelho não me prova que envelheço
Enquanto andares par com a mocidade;
Mas se de rugas vir teu rosto impresso,
Já sei que a Morte a minha vida invade.
 
Pois toda essa beleza que te veste
Vem do meu coração, que é teu espelho;
O meu vive em teu peito, e o teu me deste:
Por isso como posso ser mais velho?


William Shakespeare
Tradução de Ivo Barroso

30 de junho de 2013

SOBRE CULTOS E SÁBIOS

Nunca foi tão fácil ser culto (ou pelo menos parecer culto aos olhos alheios), tendo em vista o acesso irrestrito ao conhecimento acumulado pela humanidade. Por outro lado, nota-se uma dificuldade de mesma grandeza, na utilização adequada dessa cultura.
 
O conhecimento está à disposição, mas grande parte daqueles que o acessam não absorvem verdadeiramente esse legado, apenas o tocam superficialmente motivados pela egoica sustentação de sua imagem perante terceiros.
 
São discursos, artigos, opiniões, todos recheados de citações de Nietzsche, Schakespeare, Fernando Pessoa, dentre outros ícones da literatura, da poesia e da filosofia, mas e a sabedoria do autor do texto onde fica?
 
Sábio é aquele que, tendo ou não acessado a cultura formal, “sabe” como utilizar adequadamente o conhecimento de que dispõe, criando ou filtrando de modo competente as alternativas existentes para solucionar os problemas da profissão, do cotidiano, enfim, os desafios que a vida impõe.
 
Não há dúvida de que as citações diretas ou indiretas de filósofos, poetas ou escritores, engrandecem um texto, mas é igualmente certo que, por si só, não demonstram sabedoria. Pelo contrário, um texto formado por citações e mais citações exibe o vazio e a incapacidade do autor de formular seu próprio raciocínio.

16 de maio de 2013

6 de maio de 2013

CNJ PEDE EXAME DE SANIDADE MENTAL DE JUIZ CATARINENSE

O CNJ (Conselho Nacional de Justiça) pediu ao TJ-SC (Tribunal de Justiça de Santa Catarina) exame de sanidade mental do juiz Fernando Cordioli Garcia, 33, crítico do Judiciário catarinense. A Corregedoria do TJ afastou o juiz da comarca de Otacílio Costa (250 km de Florianópolis) sob acusação de "participação político-partidária" e "instabilidade", primeiro passo para exonerá-lo da magistratura. O enfrentamento do juiz com o Judiciário começou no ano passado, mas só foi tornado público nesta semana.
Cordioli enfrenta um processo disciplinar no TJ que pode resultar em sua aposentadoria compulsória. Ele foi afastado provisoriamente do cargo em dezembro, pelo voto de 49 dos 62 desembargadores, depois que 12 queixas chegaram à corregedoria. O juiz recorreu ao CNJ, que devolveu o caso ao TJ-SC sem entrar no mérito das acusações, pedindo apenas o exame de sanidade mental. O processo tem prazo de 180 dias para ser concluído.
No processo, o corregedor Vanderlei Romer afirma que o juiz "dedica-se à atividade político-partidária (...), manifesta-se pelos meios de comunicação (...), não trata com cortesia os colegas, não usa linguagem respeitosa (...) e não guarda reserva sobre dados ou fatos que tomou conhecimento no exercício da atividade jurisdicional". Num parágrafo, diz que o juiz "demonstra instabilidade".
Segundo Romer as queixas contra o juiz partiram "de variados segmentos da sociedade, do Ministério Público, Juiz de Direito, advogados, servidores autoridades políticas, etc". As queixas justificariam a necessidade do afastamento "dada sua [do juiz] expressiva interferência nas políticas públicas".
O desembargador Salim Schaed dos Santos foi voto contrário na sessão do TJ que determinou o afastamento. Ele comparou a atuação de Cordioli com a do ministro Joaquim Barbosa e a da ministra Lúcia Calmon. Disse que Cordioli representa um tipo de juiz moderno, que busca dar celeridade aos processos e que, por isso, às vezes, é incompreendido. Seria da corrente do "ativismo judicial", o juiz fora dos gabinetes.
Entre os queixosos aparece nos autos o ex-prefeito de Otacílio Costa Denilson Padilha (PMDB). Ele acusou o juiz de ajudar a oposição nas eleições de outubro. Padilha perdeu a reeleição.
Só processava "PPP"
O Ministério Público Estadual acusou o juiz de desrespeitar seus promotores e usar linguagem ofensiva - num despacho, Cordioli escreveu que um promotor deveria "se olhar no espelho". Noutro, disse que um promotor engavetava acusações "contra a elite e os coronéis da política da cidade" e só processava "PPP" (pretos, pobres e prostitutas).
Cordioli é juiz desde 2007 e assumiu a comarca de Otacílio Costa em 2010. Ele era citado na imprensa regional como "juiz coragem" porque nos autos dos processos registrava os desvios éticos e profissionais de colegas juízes, promotores, servidores e advogados. Estava prestes a ser promovido, quando foi afastado do cargo.
A Corregedoria do TJ-SC, num ato sem precedentes contra um dos seus juízes, divulgou nessa terça (30) as 12 reclamações contra ele. Nesta quinta (2), Cordioli apresentou sua defesa.
"Dizem que sou louco, mas não corrupto"
Cordioli disse ao UOL, em Florianópolis, que é "vítima de assédio moral de gente que não aceita um juiz como eu" --ele se define como alguém que trabalhava "com independência dos chefes políticos da cidade e contra um MPE duro só com PPP".
O juiz disse que se tornou "o inimigo público do MPE ao denunciar que nos processos em que atuava "os ricos e poderosos raramente eram incomodados, quase sempre ficavam engavetados na Promotoria".
Ele deu um exemplo: "Um empresário poderoso foi processado por crime ambiental quando eu ainda estava na universidade, em 2003. Quando assumi como juiz, descobri tantas fraudes que tive que fazer diligências de surpresa, senão alguém soprava para os réus. O processo foi tirado da minha comarca por vias espúrias e até hoje está parado no Tribunal de Justiça".
Cordioli é solteiro, nascido em Lages (220 km de Florianópolis). Com frequência, ele fez piadas sobre seu estado mental: "Dizem que sou louco, mas pelo menos não me chamam de corrupto. Sou louco por querer fazer a máquina do Judiciário funcionar".
Ele anda num carro Ford Fiesta, mas tem um BMW na garagem de casa: "É uma pequena concessão que me fiz. Escolhi um carro de luxo para eles pensarem que também roubo, como eles", diz, sem citar que são "eles".
Alguns casos ilustrativos da ação militante do juiz catarinense:

Leilão de carro de ex-prefeito em praça pública

Em 2012, Cordioli leiloou dois carros do prefeito de Palmeira em praça pública. O dinheiro era para pagar condenação por desvio de dinheiro público. Um terceiro carro, no qual o prefeito tentava viajar para Florianópolis, foi apreendido pela Polícia Rodoviária Federal depois que o juiz mandou uma ordem por fax para o posto de patrulha. O prefeito ficou a pé no acostamento.
Quando a polícia pedia a prisão de alguém, o juiz despachava a mão no próprio requerimento, poupando toda burocracia: "É um recurso que está no Código de Processo Penal desde 1940", afirma.
Depois que o MP se recusou a pagar peritos num processo contra outro ex-prefeito, o juiz pediu auxílio do 10º Batalhão de Engenharia do Exército para avaliar a casa do réu. Um destacamento cercou a casa, fotografou tudo e a avaliou em R$ 500 mil. Em seguida, quando estava prestes a transformar a residência num abrigo municipal para órfãos, Cordioli foi afastado.
Num processo ambiental, ordenou à Fundação de Amparo ao Meio Ambiente derrubar a casa de um vereador erguida em área de preservação. Como a ordem judicial não foi cumprida, Cordioli fez o serviço ele mesmo, com a ajuda de um operário.
Descontente em ver condenados a penas alternativas não cumprirem suas sentenças, o juiz exigiu que todos fossem ao quartel da PM às 9h dos sábados. Recebia o pessoal de pá na mão e comandava operações tapa-buracos nas ruas de Otacílio Costa.
O juiz andava de bicicleta na cidade.
Cordioli visitou um desembargador vestindo jaqueta de couro e com barba por fazer.
Nas audiências criminais preliminares ele soltava pessoas que sabia que enfrentariam longas batalhas judiciais por coisas insignificantes.
Defendeu um rico. O homem tinha podado uns pinheiros e a Polícia Ambiental o autuou. O juiz concluiu que a denúncia fora perseguição política e o inocentou sob o argumento de que podar árvores não é crime.
No ano passado, queixou-se de corrupção em Otacílio Costa ao governador Raimundo Colombo (PSD) e pediu intervenção na cidade.
Para vereadores queixosos de postos de saúde sem médico e sem remédios, sugeriu que responsabilizassem o prefeito e os ensinou a como fazer um processo de impeachment.
Sugeriu que uma mulher drogada, mãe de três filhos que já viviam nas ruas, fizesse uma laqueadura.
Vi no www.verborragio.blogspot.com

Fonte: Notícias UOL
http://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2013/05/02/cnj-pede-exame-psiquiatrico-para-juiz-critico-da-justica-de-santa-catarina.htm?cmpid=cfb-politica-news&fb_action_types=og.recommends&fb_source=feed_opengraph&ref=feed_open_graph&refsrc=http%2525253A%2525252F%2525252Fm.facebook.com%2525252Fl.php. Acesso em 05/05/2013

1 de abril de 2013

AINDA SOBRE O DEP. MARCO FELICIANO

Insisto no tema da presença absurda do Dep. Marco Feliciano na Presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, tendo em vista a insistência do referido parlamentar em continuar no exercício dessa função (que obviamente não lhe cabe).
 
Depois de todo o histórico devidamente documentado de manifestações homofóbicas, cultos "cristãos" movidos a dinheiro, produção parlamentar restrtitiva de direitos sociais já assegurados, novamente o Pastor abre a boca para dizer que "até ontem, a Comissão de Direitos Humanos era regida por Satanás".
 
Mas o pior não é isso.
 
O pior mesmo é constatar que muita gente apoia esse tipo de atuação parlamentar/religiosa, essa proteção "bíblica" da família heteroafetiva e dos supostos "valores cristãos", esquecendo-se de que o Estado é laico e que assim deve permanecer.
 
Estamos realmente ainda vivenciando uma era primitiva dos costumes no Brasil.
 
Não poderia ser diferente. Com uma educação básica apodrecida, só poderia mesmo reinar a ignorância, a intolerância e o retrocesso de uma imensidão de mentes tacanhas com olhos tapados para a realidade.
 
Pronto, está dito!

18 de março de 2013

SOBRE O SUCO DE SOJA

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
A notícia abaixo é para gente que toma Suco Ades como água, achando que está mantendo um hábito saudável. Sempre desconfio de produtos enlatados com corantes, antioxidantes, emulsificantes, aromatizantes, espessantes e outros "antes".
 
Suco saudável é aquele extraído da fruta, preferencialmente fresca e ponto final.
 
Embora o problema noticiado seja relacionado ao envase de produtos de limpeza juntamente com o suco, não acredito que o consumo desse tipo de produto, a longo prazo, constitua hábito saudável.
 
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou nesta segunda-feira no Diário Oficial da União que está suspensa a fabricação, distribuição e comercialização do suco Ades, da Unilever, em todo Brasil. A medida afeta os produtos fabricados na planta de Pouso Alegre (MG).
 
Segundo a Anvisa, a determinação ocorre por suspeita de o produto não atender às exigências legais e regulamentares da agência. Fazem parte da proibição os sucos em embalagens de 1 litro sabor abacaxi, cereais com mel, chá verde com tangerina, chá verde com limão, choclate clássico, chocolate com coco, frapê de coco, laranja, maçã, manga, maracujá, melão, morango, original, pêssego, shake morango, uva, vitamina banana, zero frapê de coco, zero laranja, zero maçã, zero original, zero pêssego, zero vitamina banana, zero uva; embalagens de 1 litro promocional (pague 900 ml, leve 1 l) sabores laranja, uva e maçã; embalagens de 1,5 litro sabores maçã, uva, laranja e original.
 
A Anvisa afirmou que decidiu suspender todos os lotes de todos os sabores até que tenha mais informações sobre a verdadeira extensão do problema. A agência tem programada para esta segunda-feira inspeção sanitária na fábrica da empresa. Um dos objetivos da visita será verificar a se a falha identificada pela empresa foi solucionada.
 
Caso seja verificado que o problema tenha sido resolvido e que não atingiu outros lotes e sabores, os produtos poderão ser liberados pela Anvisa. Na semana passada, a Unilever divulgou comunicado informando um problema em 96 unidades do produto Ades Maçã 1,5l. De acordo com a empresa, o lote com as iniciais AGB 25, fabricado em 25 de fevereiro de 2013, está inapropriado para consumo, pois uma falha no processo de higienização resultou no “envase de embalagens com produto de limpeza”. Sobre a decisão desta segunda da Anvisa, a empresa ainda não se pronunciou.
 
 

14 de março de 2013

7 de março de 2013

QUANDO A GENTE PENSA QUE NÃO PODE PIORAR...




Depois da eleição de Renan Calheiros para a Presidência do Senado, pensei que o quadro não poderia piorar, mas no Brasil tudo é possível.

Para quem não conhece, este é o Deputado Marco Feliciano, eleito hoje (07.03) novo Presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados.
 
O parlamentar  é alvo de dois processos no STF: um inqúerito que o acusa do crime de homofobia e uma ação penal na qual é apontado por estelionato.
 
Feliciano foi denunciado em janeiro pelo procurador-geral da República, Roberto Gurgel, por homofobia. Gurgel considerou que é ato discriminatório a mensagem do deputado no microblog Twitter com a frase "A podridão dos sentimentos dos homoafetivos levam ao ódio, ao crime, à rejeição". O procurador pediu punição de um a três anos de prisão.
 
No mesmo processo, o procurador citou outros posts no qual o parlamentar fala sobre raças, como: "Africanos descendem de ancestral amaldiçoado por Noé. Isso é fato. O motivo da maldição é a polêmica. Não sejam irresponsáveis twitters rsss", diz o post.
 
Além disso, Feliciano também responde a ação penal pelo crime de estelionato, denúncia feita em 2009, antes de ele tomar posse como deputado federal. O processo foi remetido ao STF em razão do foro privilegiado.
 
Na ação, o deputado é acusado de obter para si a vantagem ilícita de R$ 13.362,83 simulando um contrato "para induzir a vítima a depositar a quantia supramencionada na conta bancária fornecida". A denúncia do MP do Rio Grande do Sul afirma que o parlamentar firmou contrato para ministrar um culto religioso, mas não compareceu.


22 de fevereiro de 2013

SEM TEMPO PARA MEDITAR?


ADOÇÃO POLIAFETIVA

 
 
No Direito de Família, cresce progressivamente o valor emprestado aos laços de socioafetividade.
 
Agora trata-se do caso de uma criança de quatro anos, que terá uma certidão de nascimento diferente.
 
Os nomes do pai, da mãe biológica e da madrasta vão estar registrados no documento. Levando em consideração os laços afetivos que surgem das relações humanas, o juiz da 2ª Vara da Infância e Juventude de Pernambuco, Élio Braz Mendes, deferiu o pedido de guarda compartilhada feito pelos três responsáveis pela criança num sistema de adoção poliafetiva. A decisão inédita garantiu que o trio tivesse o direito de registrar e cuidar dela em conjunto.

A madrasta possui a guarda desde o nascimento da criança. Por dificuldades financeiras, a mãe biológica abriu mão da guarda provisoriamente, para que o pai e sua companheira cuidassem do bebê.
 
Desde então, a família vem garantindo os direitos básicos e indispensáveis para o desenvolvimento da criança. Contudo, a mãe biológica manteve o convívio com o menor, estabelecendo assim um vínculo afetivo.
 
No entendimento do juiz Élio Braz, tanto a genitora, quanto a madrasta, possuem laços filiares com a criança e não se pode afirmar quem melhor desempenha a função materna. “No plano da realidade, ambas, a requerente e a genitora biológica, são responsáveis pela criação do infante, cabendo a elas, em conjunto, a responsabilidade pelo dever de guarda, sustento e educação”, escreveu o magistrado.
 
Em decisão, o juiz também explica que o Direito de Família tem sido sabiamente conduzido através dos laços de afetividade que nascem a partir das relações humanas. É a afetividade a principal responsável pela constituição da família, seja ela de qual natureza for.
 
 

28 de janeiro de 2013

ALTARES

Para muitos, uma cachoeira é apenas uma queda d´água. Para mim, é um altar. Cada um enxerga o mundo como o percebe.
 
 
Rubem Alves escreveu um livro chamado: "Perguntaram-me se acredito em Deus."
 
No livro, a resposta dele: "- Sou um construtor de altares. Construo altares à beira de um abismo escuro e silencioso."
 
Emily Dickinson, por sua vez escreveu:
 
- Alguns guardam o Domingo indo à Igreja
- Eu o guardo ficando em casa 
- Tendo um Sabiá como cantor
- E um pomar por Santuário.

- Alguns guardam o Domingo com vestes brancas
- Mas eu só uso minhas asas
- E ao invés do repicar dos sinos na Igreja
- nosso pássaro canta na palmeira.

- É Deus que está pregando, pregador admirável
- E o seu sermão é sempre curto.
- Assim, ao invés de chegar no Céu, só no final
- eu o encontro o tempo todo no quintal.
 
 

14 de janeiro de 2013

LA CAMPANELLA (LIZST) POR NOBUYUKI TSUJI





Nobuyuki Tsujii nasceu em 13 de setembro de 1988. É pianista e compositor japonês que compartilhou seu primeiro prêmio com Haochen Zhang, da China, no XIII Concurso Internacional de Piano em 2009.
 
Nobuyuki Tsujii nasceu cego, mas era dotado de grande talento para a música. Na idade de dois anos, começou a tocar Jingle Bells em um piano de brinquedo depois que ouviu sua mãe cantarolando a melodia. Iniciou seus estudos de piano formal na idade de quatro anos.
 
Em 1995, com a idade de sete, Tsujii ganhou o primeiro prêmio da Associação Japonesa Helen Keller para alunos cegos.
 
Em 1998, aos 10 anos, estreou com a Orquestra de Osaka. Ele deu o seu primeiro recital de piano no salão pequeno da Suntory Hall em Tóquio, aos 12 anos.
 
Ele fez sua estreia no exterior com apresentações nos Estados Unidos, França e Rússia. Em outubro de 2005, chegou à semifinal e recebeu o Prêmio da Crítica no 15º Concurso Internacional de Piano Chopin, em Varsóvia, na Polônia.
 
Em abril de 2007, Tsujii ingressou na universidade de música e graduou-se em março de 2011. Tsujii competiu na Van Cliburn Piano em 2009 e ganhou medalha de ouro com Haochen Zhang.
 
Ele também foi agraciado com o Prêmio Beverley Taylor Smith pelo melhor Desempenho. Tsujii foi um dos concorrentes de forma proeminente no filme documentário sobre a competição Van Cliburn, 2009, “Uma surpresa no Texas”, que foi transmitido pela primeira vez na televisão PBS em 2010.
 
Além de ser pianista, Tsujii é também compositor. Aos 12 anos, ele realizou sua própria composição “O canto da rua”, em Viena.
 
Em 2010-2011, ele compôs a música-tema para um filme japonês, bem como um drama da televisão japonesa.
 
 

EXPEDIÇÃO AO JALAPÃO 2O13




















A região do Jalapão (TO) possui a menor densidade demográfica do Brasil (cerca de 0,8 hab/km2) e abrange atualmente 8 municípios, estendendo-se por uma área de 34 mil km2, equivalente ao estado de Sergipe.
















O nome Jalapão advém da planta "Jalapa do Brasil", que é bastante encontrada na região.

Na região existe também o povoado Mumbuca que é originado de um quilombo estruturado a partir de ex-escravos vindos da Bahia.


A fauna e a flora são ricos em diversidade e quantidade, sendo fácil o avistamento de emas, araras (principalmente a arara canindé), gaviões, tatus, répteis de forma geral e plantas muito peculiares.
































Em nossa expedição visualizamos pegadas de tamanduá e de raposa. Com alguma sorte é possível avistar ou ouvir espécimes do lobo-guará, que corre risco de extinção.

20 de dezembro de 2012

FELIZ NATAL!




Fonte: www.poracaso.com

SOZINHA NO BRASIL

Por Ruy Castro
 
 
Numa época, meados do século 19, em que máquinas fotográficas eram um trambolho e, ao mesmo tempo, um luxo, quem retratava a natureza eram os artistas viajantes, com seus lápis e pincéis. Por sorte, ainda havia muita natureza a retratar, principalmente no Brasil, embora, entre uma viagem e outra, os europeus que nos visitavam já percebessem o começo da devastação.
 
Um desses artistas só está sendo revelado agora: a inglesa Marianne North (1830-1890). Sua viagem ao Brasil, em 1872-73, lhe rendeu 112 pinturas a óleo sobre papel da nossa paisagem e flora -o que supera em número a obra de Thomas Ender, Rugendas e Debret no gênero, além de antecipar em cem anos a de outra inglesa, a querida Margaret Mee (1909-1988). A íntegra de sua produção brasileira está no livro "A Viagem ao Brasil de Marianne North", com texto de Julio Bandeira, recém-lançado pela Sextante.
 
Marianne veio ao Brasil sozinha, o que não foi pouca façanha, e, pelo que pintou e escreveu, nunca se arrependeu. Era fascinada pelas árvores, plantas, flores, frutas, borboletas e cobras com que deparava, e deixou um exuberante registro pictórico de tudo isso -com o qual, em Londres, matava seus conterrâneos de inveja.
 
Segundo Bandeira, o único desgosto de Marianne era constatar, a cada passo, a aversão dos brasileiros à floresta, vista como um lugar ameaçador, "um pesadelo a ser destruído". O que a mata virgem provocava na gente da terra era "o nojo, um terror iluminado apenas pelo clarão ardente das queimadas". E não se conformava com a total ausência de naturalistas brasileiros -como se a riqueza natural não fosse digna de estudo.
 
Quase 150 anos depois, se Marianne voltasse aqui, não lhe faltariam brasileiros com quem discutir a mata. Entre esses, os defensores de códigos florestais movidos a motosserras.
 
A crônica foi publicada no Jornal Folha de S. Paulo, mas eu li no www.irbianchi.com
 

16 de novembro de 2012

2 de novembro de 2012

SUICÍDIOS EM BLUMENAU E REGIÃO

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
No último dia 12 de Outubro, o jornalista Luis Nassif postou em seu blog  artigo destacando o número de 90 suicídios apurados entre os meses de janeiro e agosto de 2012.
 
Segundo a OMS, o número de suicídios considerado normal é de 4 para cada 100 mil habitantes, o que assusta quando se compara com os números apurados em Blumenau (município com 250 mil habitantes).
 
Nessa mesma linha, soube oficiosamente (pois não há divulgação oficial) que a minha cidade (Jaraguá do Sul - SC), localizada a aproximadamente 60km de Blumenau e com população de aproximadamente 150 mil habitantes,  apresentou 20 casos de suicídio entre os meses de janeiro e setembro de 2012, um número significativamente menor do que Blumenau, mas além da taxa de "normalidade".
 
Apesar de ser uma região desenvolvida e rica, o excessivo apego material, o uso excessivo de drogas lícitas e ilícitas e a pressão para a obtenção do sucesso como pressuposto para a aceitação social, podem ser fatores importantes para a formação dessa estatística.
 
Quando leio assuntos dessa natureza, sempre me recordo do pensamento de um Poeta Português, que dizia o seguinte: "Todo suicída quer ser encontrado, vivo ou morto!"
 

23 de outubro de 2012

AUTO-RETRATO (MÁRIO QUINTANA)



















No retrato que me faço
- traço a traço -
às vezes me pinto nuvem,
às vezes me pinto árvore…

às vezes me pinto coisas
de que nem há mais lembrança…
ou coisas que não existem
mas que um dia existirão…

e, desta lida, em que busco
- pouco a pouco -
minha eterna semelhança,

no final, que restará?
Um desenho de criança…
Corrigido por um louco!